DIAGNÓSTICO RURAL PARTICIPATIVO E FUTURO AGRO-ALIMENTAR EM ODEMIRA

O Diagnóstico Rural Participativo para Odemira, organizado pela associação ecologista GAIA com investigadoras do ICS-ULisboa, pretende ser um processo informativo, crítico, dialogante e capacitante, onde se analisará colaborativamente a situação actual do território, em particular naquilo que influi ou advém do sector agroalimentar, identificando forças, fraquezas, desafios e oportunidades do agroterritório e dos agroecossistemas, tracejando um ou mais cenários para o Futuro Agroalimentar são e justo da região.

O projecto visa, em primeiro lugar, analisar a situação actual do território, em particular o estado actual do sector agroalimentar, identificando, entre outros, as principais tensões e convergências entre o(s) diferentes modelo(s) agrário(s) de Odemira e os limites naturais e sociais impostos pelos recursos, agroecossistemas e condições socioeconómicas e socioecológicas do território.

Em segundo lugar, ao recolher dados sobre as características das cadeias alimentares implantadas no território de forma participativa, queremos incentivar a imaginação colectiva dos cenários possíveis para um futuro agroalimentar da região que possa realizar os objectivos de desenvolvimento sustentável como definidos pela ONU (ODS 2: fome zero e agricultura sustentável), os princípios da justiça alimentar e ainda os imperativos impostos pelos desafios socioeconómicos e socioecológicos vividos em Odemira.

Por último, dando ouvidos ao repto da Comissão Europeia de “não deixar ninguém para trás” nas transições energéticas e agroalimentares sustentáveis que se impõem, este projecto visa dar voz a todas as pessoas que dependem dos sistemas agroalimentares do território, capacitando-as para tomar parte nas decisões sobre os mesmos.

O projecto DRP Odemira decorrerá em três fases, entre Fevereiro e Outubro de 2022:

1. Caracterização do território e das principais pessoas e entidades intervientes nos sistemas agroalimentares;

2. Diagnóstico participativo do território mediante a realização de oficinas, entrevistas e levantamento de dados socioeconómicos e socioecológicos numa selecção de explorações;

3. Preparação de um relatório público com as conclusões do diagnóstico e apresentação do mesmo numa conferência de construção colectiva do futuro agroalimentar de Odemira.

Estes 6 meses de voluntariado/estágio são a oportunidade para aquelas pessoas que estejam motivadas a aprender sobre agroecologia fazendo-o com as mãos na terra.
Este voluntariado/estágio inicia no dia 14 de Fevereiro e vai até Julho. É o ciclo de instalação da horta de Primavera/ Verão e procuramos pessoas: motivadas, persistentes, com capacidade de trabalhar ao ar livre, criativas, autónomas, simples, responsáveis, disponíveis para integrar dinâmicas familiares com crianças.

Quem são os três projectos agroecológicos que convidam a esta experiência?

O Monte Mimo fica no Alentejo, na Mimosa – Santiago do Cacém 

Projecto Dias Nas Árvores – Montemor-o-novo

A Quinta Maravilha fica em Palmela.

CANDIDATA-TE … Até dia 31 de JANEIRO!!!! 

Envia um email para aquele projecto com o qual mais te identificas, onde te apresentas e  contas o porquê de teres decidido fazer um voluntariado/estágio de 6 meses num  projecto agroecológico.

Para mais informação podes ler em Português: https://drive.google.com/file/d/1VBVxUXeLCrJyr_mRWPC5fvHW9mte4h_N/view?usp=sharing

More info look it in English: https://docs.google.com/document/d/1Wu2rRf985DjxB0TrbNUsTmJDl9DRfWn0pln3SnYsNvk/edit?usp=sharing

Ubuntu: propósito pessoal

Em São Luís aconteceu, o dia 20 de janeiro, o terceiro encontro de voluntários europeios no Alentejo pertenecentes aos Corpos Europeios de Solidariedade (CES). Estes encontros são denominados Ubuntu:

Sou o que sou pelo que nós somos

Uma pessoa com Ubuntu está aberta e disponível par putros, poia os outros, não se sente ameaçada quando outros sºao capazes e bons, baseando-se numa auto-confianla que vem do conhecimento que ele ou ela pertence a algo maior.

Cada um deles tem um temática diferente escolhida por nós, os voluntários, no anterior Ubuntu tendo em consideração as nossas vontades e curiosidades de aprendizagem. Para este escolhemos o tema Propósito Pessoal.

Além disso, fazemos estes encontros no lugar de voluntariado de cada um dos prticipantes: estivemos em Santa Clara no ClaraLab onde estão Kevin e Rafael; em Sáo Luís com Rafaela e Zosia; e agora em Odemira com Manuel.

Manuel explicando as características das diferentes rotas

Começamos escutando ao Manuel sobre o seu voluntriado com a Rota Vicentina, falando sobre que faz e como funcionan as sinaléticas e manuntenção dos caminhos, trilhos e percursos. Para faze-lo mais interessante, ele trouxe pinturas, panos e tesouras para fazermos a manuntenção de uma rota das Hortas de São Luís.

Esfomeados depois desta caminhada desfrutamos um incrível almoço no parque de São Luís seguido de uma conversa filosófica sobre que é o propósito pessoal y como é que podemos atingirlo.

Com as nossas cabeças e corações bem mexidos depois daquela conversa fomos a Quinta do Chocalhinho, em Odemira, a qual oferece-nos o espaço para continuar com  nossa experência.
Conhecimos aos donos da mesma e falamos sobre os 70 hectares de terreno e os animais que coabitam com eles.

Tras repartir as diferentes tarefas e responsabilidades para o jantar fomos capazes de apreciá-lo com calma, música e conversa seguido de uma necessaria fogueira, uma sopa, caril de legumes com arrroz e um jogo de equipas.

Não demorou muito em irmos para a cama porque às 6:30 do dia a seguir todos estávamos frente a fogueira prontos para realizar um ritual  de abertura que levaria-nos a uma exploraçao individual do nosso interior e ao mesmo tempo o grande terreno da quinta. Cada um de nós partiu com uma caneta e um papel, com a  tarefa sugerida de fazer um autorretrato e um pequeno haiku.

Amanhecer na Quinta do Chocalhinho

Seguindo os nossos próprios fluxos internos, cada um foi chegando de novo a fogueira, com o coração cheio de instrospecção, natureza e sol. Só depois de tomar o pequeno almoço é que partilhamos, neste belo scenário,  nosa experiência individual, o autorretrato e o pqueno haiku.
Cada um a sua maneira, com os seus pensamentos, obeservações e vivências.

A pessoa que compartihaba ficaba, depois de terminar, a escutar o que o resto viu nele, como espelhos voltando o reflexo uns sobre os outros.

Scenário de partilhas das experiências

Pela tarde, o nosso ultimo momento de convivio juntos foi dinamizados por uma atividade de duas horas de concentração mental na que José expôs questões sobre nós mesmos e que tinhamos que plasmar num grande papel. Uma forma de nos conhecer e descobrir o nosso propósito pessoal ou como chegar a ele.

Estes Ubuntus estão cheios de intensidade, parceria, convivio e partilha, sendo importantes para ter contato com pessoas que estão na mesma situação, para comprender, aprender e se apoiar mutuamente neste voluntariado.

MÃOS NO PARQUE | SÁBADO 4 DEZEMBRO

O Parque do Cerro do Moinho é de todos nós! Vamos contribuir para melhorar o espaço público de São Luís, com as nossas mãos.

Sábado 4 Dezembro, 10:30 – 13:00 | Limpeza de caminhos e criação de trilhos.

Para podermos usufruir do Parque para os nossos passeios e piqueniques, os caminhos devem ser convidativos e acessíveis a todas as pessoas. É também importante marcar por onde devemos andar e, por outro lado, o que não queremos pisar para que as plantas possam crescer. 

Vamos aprender e implementar técnicas simples, pelo que não é necessária experiência prévia. Todas as pessoas são bem-vindas!

Trazer luvas de trabalho e calçado confortável. Ferramentas úteis: ancinho, enxada e/ou picareta. Ponto de encontro às 10h30 em frente aos balneários, por cima da Junta de Freguesia.

Orientação e facilitação por Dór Havkin e pela equipa do GAIA Alentejo.

Apoio Orçamento Participativo 2020 | Cuidar dos Comuns.

MÃOS NO PARQUE | Sábado 27 Setembro

O Parque do Cerro do Moinho é de todos nós! Vamos contribuir para melhorar o espaço público de São Luís, com as nossas mãos.

Sábado 27 Novembro 2021, 10:00 – 14:00 | CRIAÇÃO DE ESTRUTURAS NATURAIS DE RETENÇÃO DE ÁGUA

Organizando a matéria florestal que já existe no Parque podemos promover a retenção de água no solo, que será essencial para a sobrevivência das plantas nas estações secas. Ao mesmo tempo, tornamos o espaço mais bonito e acessível. 

Vamos aprender e implementar técnicas simples, pelo que não é necessária experiência prévia. Todas as pessoas são bem-vindas!

Trazer luvas de trabalho e calçado confortável. Ponto de encontro às 10h em frente aos balneários, por cima da Junta de Freguesia.

Orientação e facilitação de Dór Havkin e GAIA Alentejo. Almoço oferecido pela Junta de Freguesia de São Luís *.

* Inscrições para almoço através do email saraserrao@gaia.org.pt

De volta ao Parque de São Luís!

Todas as pessoas são bem-vindas às acções participativas no Parque do Cerro do Moinho, em São Luís. Em quatro sessões vamos:

  • Criar estruturas naturais de retenção de água
  • Limpar caminhos e marcar trilhos
  • Podar
  • Plantar novas árvores

Mais informações serão publicadas aqui na semana de cada acção.

JARDINS INVISÍVEIS Uma parceria GAIA Alentejo, Junta de Freguesia de São Luís e Dór Havkin.

Coordenação Sara Serrão | saraserrao@gaia.org.pt

Bem-Vindos ao Novo BLog do GAIA Alentejo!

É para nós um prazer anunciar que fizemos ao nosso blog uma lavagem de cara pois estava a ficar muito desatualizado. Por tanto, com ajuda de todo o pessoal de GAIA Alentejo, trabalhamos para pôr mais conteúdo, atualizar o já existente e deixar atrás o que já não era relevante. 

  • Temos no menu esquerdo uma grande quantidade de parceiros, onde podes encontrar uma pequena descrição, um link para o seu site e procurar ainda mais informação. 
  • No menu principal fizemos algum arranjo para que a interação seja mais orgânica e simples dando acesso a todo o conteúdo com mais clareza.
  • Por último, adicionamos um menu direito onde te podes informar de campanhas e projetos que nos inspiram e consideramos importantes. 

Esperamos que gostem destas modificações (ainda temos mais nos nossos cadernos prontas) e, se quiseres ajudar-nos nesta aventura, não tenhas dúvidas e contacta connosco!

DIA DAS ÁRVORES + ÁRVORES EM TAKE AWAY

JANEIRO/ FEVEREIRO 2021. Respondendo ao apelo JARDINS INVISÍVEIS para criar um Cinturão Verde na freguesia de São Luís, 62 proprietários locais compareceram no Viveiro Comunitário para recolher árvores e arbustos.

Em Janeiro aconteceu o DIA DAS ÁRVORES, a segunda edição da iniciativa que procura facilitar o acesso a árvores e a sua plantação, contribuindo para uma freguesia mais verde e biodiversa. Em Fevereiro 2021 e em pleno confinamento devido à pandemia, todas as árvores que permaneciam no Viveiro Comunitários foram distribuídas durante o evento ÁRVORES EM TAKE-AWAY.

JARDINS INVISÍVEIS permitiu a distribuição de 1700 plantas, árvores e arbustos, pela freguesia de São Luís no Inverno 2020/1. No próximo ano queremos distribuir 10.000!!

JARDINS INVISÍVEIS é um projecto do GAIA Alentejo, em parceria com Dor Havkin e a Junta de Freguesia de São Luís e com o apoio da Fundação Vox Populi.

eslovénia, frança ou bulgária?

Estão abertas as oportunidades de voluntariado internacional para JOVENS DE ODEMIRA (18-30 anos) no Verão 2021!

Podes passar 2 meses, Julho e Agosto 2021, a contribuir para projectos solidários com crianças e jovens (Eslovénia), ambiente e sustentabilidade (Bulgária) ou jovens e ambiente (França). Todas as despesas são cobertas pelo Corpo Europeu de Solidariedade.

Candidata-te até 30 Abril através do email juventude@cm-odemira.pt.

Todas as informações aqui:

Grupo de Acção e Intervenção Ambiental – ONG